“O mal do século e o caos da humanidade, é o egoísmo.”
A Solidão de James. (via teleportear)




 

Beautiful! <3





“No réveillon de 1983, começava a historia de um novo casal.
Gabriel tinha 19 anos, e passava o réveillon com os amigos na praia. Elizabeth tinha 18, e passava com a família. Gabriel havia um amigo em comum com Eliza, assim ela era chamada pelos amigos. Esse amigo deles, ao a cumprimentá-la, chama Gabriel junto a ele, para conversar com ela. Gabriel com seu jeito tímido de ser cumprimentou e apenas deu um beijo ao rosto dela. John, esse amigo dos dois, notou o olhar de Eliza, sobre Gabriel, percebendo que ela se encantou por seu amigo. John pergunta a Eliza se gostaria de sair com ele, a namorada e Gabriel, no dia seguinte, a menina meio tímida aceitava, e para Gabriel olhava, que logo sorria então está marcado John dizia. No outro dia então todos estavam em frente ao “Dirty Dance” uma casa de show bem frequentada, de frente a estrada, todos estavam lá, os dois casais entraram, logo se sentaram, e ao bailar da musica, Gabriel e Elizabeth iam se conhecendo. É acho que o amor esta aparecendo. -John sussurrava. As horas passavam, e menos tímidos eles estavam, e então uma musica lenta toca, todos levantaram, menos Elizabeth e Gabriel, eles continuaram sentados, conversando e enrolando, mais perto dela ele sentou John ao longe avistou. E para sua namorada olhou, eles sorriram, ele disse amor vem cá! E eles foram até a mesa, e olharam ao casal que estavam sentados, enamorados sorrindo, e disse:
-Vocês não vão dançar?
Gabriel olha nos olhos de Eliza e diz:
- Você aceitaria?
Ele já estava a segurar a mão dela, e com uma capela do cantor, ela se levantou, e eles foram dançar. E em cada bailar, os olhares era cada vez mais puros. A cada batida do piano, parecia que minutos passavam em anos, é eles realmente sentiram que se amavam, e sabiam disso, o final da musica já esta a chegar e para finalizar um último giro, e quando ela dava as costas ele segurava um de seus braços, e dizia: no final da musica nos precisamos se beijar. Ela sorria mais seu coração amoleciam, eles se beijaram. Os encontros eram frequentes, mas em um dia Eliza sem se redimir, diz que iria partir. Gabriel, não entendia bem o que havia acontecido, seu coração se encontrava ferido. Coitado do meu amigo, John dizia. Ele sofreu, e seu coração endureceu, mas seu amor não morreu, e ele sobreviveu. Os anos foram passando, e Gabriel já tem 30 anos, um grande empresário se tornou, um homem de negócios ele virou, sozinho, seguiu seu caminho, sem ninguém, com medo, com receio. É e em uma de suas visitas em Varsóvia na Polônia, ele ao andar de sua vida com uma mulher se esbarrou, ela estava com uma feição triste ele reparou, mais algo semelhante a alguém do passado ele notou, ele com um sincero pedido de desculpas ele continuou, mas aquilo o incomodava algo o chamava. Ele então voltou, e quando retornou aquela mulher não estava mais ali, será que ela mora aqui? Ele se perguntou. Gabriel então a procurou, e procurou! Ele não entendia o que queria, mas entendia que deveria a encontrar, quem será? Ele continuava a se perguntar, John seu amigo estava com ele nas buscas, até que Katharine,
que era a Namorada de John, sofreu um acidente, ela estava bem, porem estava um pouco doente. As buscas com a mulher desconhecida para, que eles pudessem visitar a ferida. Ao passar em uma sala, lá estava à mulher, Gabriel não acreditava que era ela, e com poucos passos ele entrou no quarto dela, e Disse a John, que logo veria Katharine, ao se deparar com a mulher fraca e frágil, ele olha para ela algo some no ar, como se alguém estava a o hipnotizar, o passado passou diante de seus olhos, e ele diz: Elizabeth? A mulher que estava de olhos fechados os abre, e ele diz: Como não pude reconhecer seus lindos olhos azuis quando te vi na rua, o que houve contigo? A mulher olhava e com um sim, inconformada completava: Não queria que você me visse desse jeito, querido Gabriel, eu realmente queria que você se tornasse meu marido, porem eu estava doente e descobri logo assim que te conheci, não podia me apaixonar muito pior casar. Desde que parti, estou assim, sem cabelos, sem vida, sem alegria, eu tenho um câncer raro, é um horror, porem eu tentei me curar, para poder te achar, não consegui e estou aqui no hospital de Varsóvia, na contagem regressiva, para que eu possa descansar em paz. Ele a olhava e lagrimas de seus olhos caia. Ela assim sorria, com um singelo não chore, ele dizia: Eu te amava e ainda te amo, minha cara Eliza, não importa se você esta sem cabelo, esta triste, esta viva, ou esta morta, o que importa, é que eu daria tudo para esta do seu lado, em qualquer momento da sua vida, na verdade eu daria qualquer coisa, para ficar contigo a qualquer hora, agora que te encontrei, prometo não ir embora, te peço agora case comigo, e seja meu único abrigo, tire os cadeados do meu coração. Eu estou morrendo, meu caro Gabriel. Ele segura em sua mão e responde:
- Não importa um dia nos encontraremos, no céu, alem do mais, quando nos casarmos será “Na alegria na tristeza e na saúde e na doença até que a nossa morte nos una novamente. Era isso que sempre tive em mente, nosso amor, como um beija flor, que voa e na terra, passando de flor em flor”. E padrinho desse casamento eu fui. Quem? você deve se perguntar. Eu John, o que contou tudo isso a vocês. E sabe o até que a morte os una novamente, isso aconteceu que após 17 anos Gabriel morreu, ele morreu sorrindo, na cama de um hospital, ele com leucemia estava, mas sorria, por ele sabia que a linda Eliza o esperava, e Katharine ela esta do meu lado, chorando, aos prantos, pois é o que ela sempre faz quando conto a historia dos nossos melhores amigos, Gabriel e Elizabeth.”
— Gabriel e Elizabeth, uma linda historia do seu amigo John. Diego Vinícius e Brendon Moraes  (via romeuemcrise)


“São águas passadas. Escolha outra estrada e não olhe para trás.”
Capital Inicial.  (via alentador)

“Era óbvio que a gente não iria ficar junto para sempre, mas precisava dizer?”
Gabito Nunes.    (via alentador)


THEME © <